DIGITAL JOÃO JORGE: Ó pai Ó 2 VEM AÍ.

QUANDO A BAHIA VAI RECONHECER MELHOR O TRABALHO DESSE RAPAZ? 

"Ator credita ‘atraso’ de ‘Ó pai, ó 2’ ao cenário político; Wagner não confirma presença

por Nereida Albernaz / Bruno Luiz
Foto: Divulgação
















O ator Jorge Washington, do elenco da comédia “Ó Pai, Ó”, explicou que o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff atrapalhou o lançamento do segundo filme da franquia. O baiano garantiu que as gravações do longe foram impedidas por causa do cenário político. “Já estava tudo bem encaminhado para o filme rodar, no que veio o 'golpe'. O recurso ia sair de algumas empresas através da Lei Rouanet, e a lei foi travada”, lamentou. A possibilidade de um novo filme já havia sido anunciada durante o carnaval por Tânia Toko (lembre aqui). Na ocasião, a atriz chegou a mencionar que as gravações iriam começar em janeiro, mas foram adiadas para junho. Washington confirmou e creditou o “atraso” às mudanças na Esplanada dos Ministérios: “Por conta desse desenrolo aí, e dessa dificuldade que o Brasil está passando politicamente, acho que só está dependendo agora dessa questão da grana, de desenrolar com os patrocinadores”. O ator, que no primeiro filme deu vida ao personagem Matias, ainda adiantou detalhes da produção da obra: “Monique Gardenberg [diretora] convidou Elísio Lopes Jr. para fazer o roteiro. O elenco vai ser o mesmo, elenco baiano, Lázaro tá garantido”. De acordo com Jorge Washington, e conforme Tânia havia adiantado, a única dúvida para o elenco é Wagner Moura. “A única pessoa que a gente estava buscando uma forma de conseguir catequizar foi Wagner Moura. Ainda não está garantida a participação dele, não”. Com novo roteirista, os atores parecem ter ganhado mais poder de decisão. “Como é Elísio que está fazendo o roteiro a gente tem a oportunidade de trocar, a diretora confia no trabalho do Bando [de teatro Olodum], e gente tem a liberdade de opinar e de trazer situações, então vai ter uma coisa muito mais potente e mais bacana”.

Ator Jorge Washington | Foto: Bruno Luiz / Bahia Notícias

A produção é originaria de uma peça de teatro de Márcio Meirelles, estrelada em maioria por atores do Bando de Teatro Olodum, grupo baiano de artes cênicas. Devido ao sucesso do filme, “Ó Pai, Ó” ganhou uma série de 10 episódios na TV Globo, entre os anos de 2008 e 2009. O grupo de teatro espera realizar um trabalho ainda mais engajado para questões sociais no segundo longa: "Vamos abordar com mais veemência, porque o cinema é feito também para isso. É entretenimento? É. Mas tocando em questões que são doloridas para a gente, eu acho que você leva um recado, consegue fazer uma transformação com mais delicadeza”. Desde o primeiro filme 10 anos se passaram. Nesse período, alguns atores como Tânia Toko e Érico Brás ganharam oportunidades na TV, o que deve trazer mais visibilidade e experiência ao novo trabalho. “Hoje a gente tem um amadurecimento maior, já tem a experiência de ter feito o primeiro, então a gente sabe como tocar em alguns assuntos, que são muitos caros para gente. Vamos falar muito mais do extermínio da juventude negra”, concluiu. Relembre uma das cenas do filme, onde parte do elenco dança a música "I miss her":

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PAULA MAGALHÃES, FILHA DE LUIS EDUARDO MAGALHÃES, DONA DE 33% DA REDE BAHIA, É A DONA DA AXXO

"VOCÊ FAZ FAXINA?" "NÃO, FAÇO MESTRADO. SOU PROFESSORA"

ELIKA TAKIMOTO: COTAS, ESCOLA PÚBLICA. A REALIDADE É DURA MAS MUTÁVEL.