A GLOBO, DONA DA IMPRENSA, DEMITIU JUCÁ,

“Prensa” global definiu queda de Romero Jucá, diz Tales Faria


O “prensa global” aí de cima é e não é imprensa. É a “prensa” da imprensa, ou melhor da “dona da imprensa”, a Globo, nas horas em que a República este nas mãos de um ministro que, segundo o insuspeito Merval Pereira, o presidente em exercício “não tinha condições” de demitir.
No site Os Divergentes, meu companheiro de longa data Tales Faria relata a pressão decisiva das Organizações Globo para que Romero Jucá decidisse aceitar a demissão do Ministério do Planejamento. E traça a cronologia do que fez Michel Temer afastar seu lugar-tenente.
“Pela manhã, em entrevista divulgada pela Globo News, o então ministro do Planejamento falou sobre a gravação de suas conversas com o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, divulgadas pelo jornal “Folha de S.Paulo”:
“Não me sinto sem condições de trabalhar como ministro (…). Vou continuar trabalhando.”
Dali, Jucá foi ao encontro de Temer, conversaram e, em seguida, Jucá deu nova entrevista, negando que fosse sair do Ministério:
“O cargo de ministro é uma decisão do presidente Michel Temer. Vou exercê-lo na plenitude enquanto entender que tenho a confiança do presidente. Há muita coisa para fazer e eu vou fazê-lo até o dia que ele entender que eu tenho condição de atender esse papel.”
Mas a voz do dono falou. Às 14;41 h, em um inédito “editorial online”, veio a “prensa global”, Mas palavras de Tales:
“Parecia um aviso: Olha, ou o Jucá deixa o governo, ou vocês do governo vão perder nosso apoio.”
O resto, todo mundo já sabe e você deve ler a matéria completa n’ Os Divergentes.
Mas reproduzo, abaixo, para registro da história, o “editorial online” que fez, como disse, acontecer a demissão que Merval Pereira havia dito que Temer não tinha condições de fazer.
editorialglobo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PAULA MAGALHÃES, FILHA DE LUIS EDUARDO MAGALHÃES, DONA DE 33% DA REDE BAHIA, É A DONA DA AXXO

"VOCÊ FAZ FAXINA?" "NÃO, FAÇO MESTRADO. SOU PROFESSORA"

ELIKA TAKIMOTO: COTAS, ESCOLA PÚBLICA. A REALIDADE É DURA MAS MUTÁVEL.