"MINHA FILHA, CHAME A MÉDICA ALI PRA MIM"

"MEU FILHO, TRAGA O CARDÁPIO" "CUIDADO!"  HOJE, 20 DE NOVEMBRO, O RACISMO AINDA ATUA ASSIM NO DIA A DIA DOS NEGROS QUE VIVEM E TRABALHAM.












20 de Novembro, dia da Consciência Negra, dia que é feriado em São Paulo e não é na Bahia, nos defrontamos, no dia a dia, com inúmeras situações onde mostram, que apesar dos imensos avanços, a sociedade brasileira ainda guarda, no seu intimo, a discriminação racial, que ainda não absorveu completamente, que o negro saiu há séculos das senzalas, continua tentando sair das periferias e hoje já pode morar no Le Parc e jantar no Barbacoa.


DEMOROU MAS AS LUTAS PASSARAM A FALAR DO NEGRO REAL DO NEGRO CONCRETO.

Quem nunca viu, ouviu, alguns (muitos?) até falaram, sem querer, querendo, a famosa frase nos hospitais? "Minha filha, chame a médica ali por favor, sem admitir, muitos "inocentemente" que médica não poderia ser negra. Negra é enfermeira? 
E quantos negros foram solicitados em restaurantes bacanas para pegar o cardápio? (alguns ainda dizem, "por favor" rsrs)

Quantos negros não já sofreram calados, por verem homens e mulheres, ao pagar contas, puxarem a bolsa ou carteira pra proteção ao verem se aproximar um cliente negro?
E quantos não receberam olhares, (e Deus sabem o que pensam...)  ao passarem com suas mulheres brancas e filhos brancos, ou vice versa?

Entidades como MNU, UNEGRO, ILÊ e O OLODUM, fizeram e fazem a diferença, lutando por décadas para mudarem a historia. 




OS NOVOS TEMPOS, DE LULA PRA CÁ, FALAM DE UM NOVO TEMPO DO NEGRO CONCRETO, NEGRO REAL, SALTO DE QUALIDADE DAS LUTAS DAS CENTENAS DE ENTIDADES.

o que queremos? direito à vida! direito de ser encarado como tal, pelo que pensa e age diante da vida e não pela cor de sua pele.

A inclusão de 30 milhões na roda de consumo, levou muitos negros no bolo;
O acesso mais fácil às Universidades e cursos Técnicos, que explodiu pós Lula, levou milhões de negros aos bancos das faculdades.

Antigamente, negro na faculdade, era ousado, pais se sacrificavam, outros arranjam pouquíssimas bolsas de estudo (a maioria ia para os ricos mesmos).
Hoje é difícil você ver na periferia, uma família que não tem um filho na faculdade.
As cotas foram uma verdadeira bomba revolução.

Enfim, muito se avançou. 

SO FALTA A "NATIONAL MINORITY BRASILEIRA.

Sinto falta no Brasil de uma poderosa articulação de empresários negros, fazendo negócios entre si e pra fora, como existe nos EUA, ha décadas, movimentando bilhões de dólares, relacionando-se com as grandes empresas, transformando mais ainda a vida, para que a riqueza produzida no país, tenha realmente a oportunidade de todos. 
(UM BEIJO ESPECIAL NO CORAÇÃO DA UNEGRO, ONDE FUI O PRIMEIRO PRESIDENTE. AXÉ!)
Antonio do Carmo


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PAULA MAGALHÃES, FILHA DE LUIS EDUARDO MAGALHÃES, DONA DE 33% DA REDE BAHIA, É A DONA DA AXXO

"VOCÊ FAZ FAXINA?" "NÃO, FAÇO MESTRADO. SOU PROFESSORA"

ELIKA TAKIMOTO: COTAS, ESCOLA PÚBLICA. A REALIDADE É DURA MAS MUTÁVEL.