Pular para o conteúdo principal

A ABRIL, (falindo) QUER DAR UM GOLPE NA PRAÇA?

Os movimentos estranhos da Abril com a Caras

Alguns pontos chamam a atenção nesse desmonte da Editoria Abril.
Um dos expedientes utilizados por empresas em situação financeira insanável é justamente transferir seus ativos para uma outra pessoa jurídica e deixar a original explodir. Em sociedades anônimas, os acionistas não respondem com seus bens pelas dívidas da empresa.

No caso da Abril, há as seguintes peças do quebra-cabeça:
1.     As relações pouco nítidas entre os Civita e a Editora Caras, que está ficando com os títulos da Abril. Até agora transferiu para a Editora Caras "Aventuras na História", "Bons Fluidos", "Manequim", "Máxima", "Minha Casa", "Minha Novela", "Recreio", "Sou+Eu", "Vida Simples" e "Viva Mais", AnaMaria, Arquitetura & Construção, Contigo!, Placar, Tititi, Você RH e Você S/A. Os valores não foram informado. Os Civita têm participação no capital da Caras, mas não se sabe em que percentual.
2.     Se o título não é rentável para a Abril, com sua imensa tradição de revistas, por que seria para a editora Caras? Não faz sentido.
3.     O fato dos Civita terem faturado R$ 1,2 bi com a venda da Abril Educacional mas não terem aportado um centavo para a Editora Abril.
4.     O histórico de impostos atrasados da Abril, que em vários outros momentos se resolveu via Refis e companhia. E agora, não mais.
5.     O fato, conhecido, de que a empresa acumula passivos relevantes com o Fisco e com os bancos.
Não se sabe o que ocorrerá com Veja. O proprietário oficial de Caras, Jorge Fontevecchia, teve um diário na Argentina, “Perfil”, similar à Veja em suas baixarias. Fechou. Sua editora depende exclusivamente da revista Caras, que nos últimos anos vêm perdendo tiragem e receita de publicidade.
Por ocasião da morte de Roberto Civita, publicou um artigo com o título “Roberto Civita, mi maestro” (http://migre.me/saVbe). Nele narra a influência de Civita sobre ele, as parcerias que tiveram em algumas revistas.
Seria oportuno que Receita e Banco Central começassem a monitorar os negócios dos Civita, da Abril e da Caras.
Pode ser que não seja nada. Pode ser que seja.

Tags

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"VOCÊ FAZ FAXINA?" "NÃO, FAÇO MESTRADO. SOU PROFESSORA"

PAULA MAGALHÃES, FILHA DE LUIS EDUARDO MAGALHÃES, DONA DE 33% DA REDE BAHIA, É A DONA DA AXXO

ELIKA TAKIMOTO: COTAS, ESCOLA PÚBLICA. A REALIDADE É DURA MAS MUTÁVEL.